TV 3.0: Conheça a tecnologia que vai revolucionar como iremos assistir televisão

Com previsão de chegada no Brasil em 2023, já está em operação no Japão e Coreia do Sul, a TV 3.0, que será o novo padrão de transmissão de sinal de TV aberta.

A principal característica dessa nova tecnologia é a integração entre o sinal de TV aberta (UHF) com a internet. 

A TV 3.0 será baseada em aplicativos, ela terá o mesmo modo de navegação que conhecemos em nossos smartphones, proporcionando uma integração absoluta entre o sinal aberto UHF, apps de streaming como Netflix e Youtube, com a televisão por assinatura e outros serviços. Tudo de forma integrada, dentro do mesmo menu de operação do sistema

Outro ponto a se destacar, será o ganho na qualidade de imagem com vídeo UHD (ultra high definition) ou 4K e áudio imersível. Essa característica transportará o telespectador virtualmente para dentro da programação. Por exemplo, durante uma partida de futebol, ele poderá escolher o áudio de qual torcida vai ouvir.

A TV 3.0 é o novo sistema de TV aberta cujo desenvolvimento é realizado pelo Fórum SBTVD, que substituirá o sistema atual. Para avaliar as tecnologias que serão empregadas na TV 3.0, uma chamada internacional (Call for Proposals) foi publicada em julho de 2020 para receber propostas de tecnologias do Brasil e de outros países. No total, 21 organizações de diferentes países responderam à chamada internacional. “Teremos muito trabalho pela frente, mas acreditamos que, além de fornecer informações muito valiosas para a seleção das tecnologias mais apropriadas para a próxima geração de televisão digital no Brasil, esses testes também serão uma referência muito importante para outros países, ao avaliar e comparar as tecnologias de ponta de camada física, camada de transporte, codificação de vídeo, codificação de áudio, captions e codificação de aplicações”, comenta Luiz Fausto, coordenador do Módulo Técnico do Fórum SBTVD.

No Brasil os testes da TV 3.0 começaram em junho de 2021 e estão sendo conduzidos pelo Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre, o SBTVD, instituição ligada ao Governo Federal. Essa nova era da TV está trazendo níveis mais profundos de dados e criação de perfis do que simplesmente os dados demográficos tradicionais. Hoje também contamos com dados de fabricantes de TV, decodificadores de última geração, fontes digitais e muito mais. Todos eles ajudam o anunciante a ter maior alcance e gerenciar melhor o investimento publicitário. Ao se integrar com análises e plataformas de gerenciamento de dados, será possível usá-los para planejar, criar o perfil do público e segmentar.

Para o mercado de radiodifusão é um grande avanço. A TV aberta vai continuar tendo uma plataforma de distribuição competitiva em termos de qualidade e experiência do usuário. “Ela será capaz não apenas de manter o engajamento da audiência, mas também de viabilizar novos modelos de negócio, com uma segmentação maior da programação e comercialização, e a partir da maior integração com a Internet”, ressalta o coordenador.

FONTE: Fórum SBTVD