SC tem terceira maior escolarização no ensino superior do país

Santa Catarina é o terceiro estado do país com o maior percentual de escolarização de jovens entre 18 e 24 anos no ensino superior. Enquanto a taxa no estado é de 33,7%, no país cai para 25,5%. O ritmo de crescimento de pessoas escolarizadas nesta faixa etária também é superior ao brasileiro. De 2016 até 2019, a participação de alunos catarinenses matriculados no ensino superior cresceu 3,3 pontos percentuais, conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) da Educação analisados pelo Observatório FIESC. No mesmo período, a taxa brasileira avançou 1,6 pontos percentuais.

As informações fazem parte do painel Panorama da Educação, lançado pelo Observatório FIESC nesta semana, que está disponível de forma pública no portal. O quadro reúne dados da PNAD da Educação, realizada pelo IBGE, em cinco eixos: IDHM Educação, Taxa de Analfabetismo, Número Médio de Anos de Estudo, Taxa de Escolarização e Situação de Ocupação e Estudo. O usuário encontra informações de Santa Catarina e das outras 26 unidades da federação, bem como do Brasil, na série histórica de 2016 a 2019.

“O Observatório FIESC tem experiência em gerar informação e conhecimento para o setor da educação. Já fizemos diversos estudos e trabalhos de inteligência em dados voltados para o segmento”, afirma a gerente executiva do Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina (IEL/SC), Eliza Coral.

Para Ronaldo Marques da Silva, coordenador do Observatório FIESC, o Panorama da Educação facilita o acesso às informações voltadas para o mercado da educação e é mais uma iniciativa na busca constante para o desenvolvimento de uma cultura analítica em dados. “Nosso time multidisciplinar tem qualificação para atender demandas da indústria, economia, inovação e tecnologia, saúde e educação. O painel facilita o acesso às informações voltadas para o mercado de educação”, afirma.

Outros destaques do Panorama da Educação

O Panorama da Educação reúne as informações mais recentes de Santa Catarina e outros estados brasileiros disponibilizadas pelos institutos oficiais de pesquisa. Outro destaque da análise é que Santa Catarina tem a melhor taxa do país de jovens que estudam e trabalham. De acordo com o IBGE, 20,4% das pessoas entre 15 e 29 anos estavam ocupados e estudando no estado. Esse é o maior percentual do Brasil.

Por outro lado, 12% dos jovens catarinenses não estavam ocupados no mercado de trabalho e nem estudando. São os chamados “nem-nem”, que não trabalham, não estudam e não estão em treinamento. O percentual de Santa Catarina igualmente foi o menor entre todos os Estados. No país, a taxa média dos jovens “nem-nem” chega a 22%.

O Panorama da Educação traz ainda informações a respeito da taxa de analfabetismo. Conforme análise do Observatório FIESC, o percentual dos catarinenses de 15 anos ou mais que não sabem ler e escrever caiu para 2,3% em 2019, o que significa 24 mil pessoas analfabetas a menos em relação a 2016. O índice é o segundo menor do país, atrás apenas do Rio de Janeiro (2,1%), e quase três vezes menor que a taxa nacional (6,6%).

A taxa de analfabetismo se reduziu em todas as faixas etárias na comparação com a pesquisa de 2016. A queda é uma consequência da alta taxa ajustada de frequência escolar líquida, ou seja, o percentual de pessoas que frequentam a escola no nível de ensino adequado à sua faixa etária e daquelas que já concluíram pelo menos esse nível no total de pessoas da mesma faixa etária. Em Santa Catarina, o percentual de crianças de 11 a 14 anos, idade correspondente aos anos finais do ensino fundamental, a taxa de escolarização é de 92,1%.

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina – FIESC